Artistas da Record, SBT e RedeTV! passam a ter livre acesso nas três emissoras.


Nunca seu viu um cenário como esse. Muito diferente de alguns anos, a participação dos artistas da #Record, #SBT e #RedeTV!, emissoras que compõem a Simba Content, são cada vez mais frequentes nos programas entre si. O trânsito é quase livre. 

Na conversa entre os executivos é esquecida a concorrência entre as emissoras, que se tratam como sócias. 

Diante disso, a liberação de artistas para o Teleton deste ano deve ser bem tranquila. 

Sandro Nascimento

Executivo da RecordTV e SBT torrou R$ 1 milhão em boate de Nova York.

Afastado na semana passada das negociações pela venda dos sinais de Record, SBT e RedeTV! às operadoras de cabo e satélite, o executivo Marco Gonçalves esteve no centro de um escândalo um mês antes de ser contratado pela três emissoras. Em fevereiro deste ano, ele teve de deixar a sociedade no banco BTG Pactual após ser acusado de gastar R$ 1 milhão em duas noitadas numa boate de Nova York.
Segundo reportagem do jornal New York Daily News, Marcão, como é conhecido, teria dado um calote de US$ 340 mil (R$ 1,115 milhão atualmente) no badalado night club Provocateur, no Meatpacking District, bairro da ostentação novaiorquina. Teria dito aos amigos para beberem à vontade _e eles o fizeram, consumindo bebidas caras como a champanhe Dom Pérignon e a tequila Patrón Magnum.
A gastança digna de rei do camarote ocorreu em junho do ano passado, mas só veio à tona no final de janeiro, após o dono da boate processar Marco Gonçalves.
O banqueiro tem uma versão diferente da história. Diz que não frequentou a boate, mas um restaurante anexo. E que não estava acompanhado de “inúmeras pessoas”, mas de apenas quatro amigos. Gonçalves diz que só tomou conhecimento do valor da conta quando recebeu o extrato do cartão de crédito. Ele teria pago a fatura e contestado a despesa, que teria sido reembolsada pela American Express.
O hoje executivo da Simba, empresa formada pelo SBT, Record e RedeTV!, acabou fazendo um acordo na Justiça de Nova York, mantido em sigilo. Reconhece que pagou a quantia cobrada pela Provocateur, para se livrar do escândalo e de chantagens que estaria sofrendo.
O escândalo acabou sendo inevitável e saindo caro para Gonçalves. Ele perdeu o apoio dos acionistas do BTG Pactual, escaldados pela prisão do CEO do banco, André Esteves, envolvido com a Lava Jato, em 2015. Após oito anos, teve que deixar a sociedade, no início de fevereiro.
A fama de negociador duro levou Gonçalves à Simba, um mês depois. Ele tinha o perfil que Record, SBT e RedeTV! buscavam, já que pretendiam lançar uma guerra contra as principais operadoras de TV paga. A guerra acabou saindo um tiro no pé. Até agora, as emissoras não conseguiram tirar um único centavo das operadoras. E estão fora do cabo e do satélite no maior mercado do país, o da Grande São Paulo.
Gonçalves é um especialista em fusões e aquisições. Nas negociações com as empresas de TV por assinatura, teve que trocar o papel de “negociador duro” pelo de apaziguador. Mas acabou chamando a atenção mesmo pelo desconhecimento do mercado e pela inviabilidade da única proposta feita, de R$ 15 pelos sinais das três redes abertas, mesmo custo que as operadoras têm com pacotes premium, como HBO e Telecine.
Desde a última terça (23), Gonçalves não atua mais na linha de frente de negociações da Simba. A empresa contratou para essa tarefa Ricardo Miranda, ex-presidente da operadora Sky. Mas Gonçalves continua na Simba.
Daniel Castro / Notícias da TV

Justiça determina que Operadora Net dê desconto de R$ 7,50 por corte de canais da Simba.

.

A Vara do Juizado Especial Cível do Foro Regional de Itaquera, em São Paulo, determinou nesta segunda-feira (29) que a Net dê um desconto de R$ 7,50 no pacote de uma cliente. Ela questionou a operadora por conta do corte dos sinais de Record, SBT e RedeTV!, empresas que formam a Simba, no final de março. É a primeira decisão neste sentido desde o início do impasse entre as operadoras de TV paga e os canais.

Na decisão judicial, é calculado o valor de R$ 2,50 por canal cortado. O juiz, Eduardo Francisco Marcondes, observa que, embora não esteja condenando a operadora pelo corte do sinal, entende que a consumidora tem direito a um desconto, já que deixou de ser servida de acordo com o que contratou originalmente.

“Poder-se-ía argumentar que não há como responsabilizar a ré pela suspensão do sinal dessas três emissoras, tendo em vista que a obrigatoriedade da transmissão de referidos canais abertos cessou com o término da transmissão do sinal analógico. Todavia, a questão não se coloca sob esse prisma para a solução deste processo”, escreve o juiz na sentença.

“Cuida-se de relação de consumo, na qual a parte autora pagava um preço específico por um serviço que incluía, também, a transmissão dos canais abertos referentes às redes SBT, RecordTV e RedeTV! Houve redução do serviço, pois o sinal daqueles canais deixou de ser entregue à parte autora, que continuou pagando o mesmo preço à parte ré”, anota ele.

“Ora, há desequilíbrio na relação contratual quando uma das partes reduz o escopo do serviço, mas mantem o mesmo preço. Pouco importa, para a parte autora, enquanto consumidora, o valor que a parte ré pagava àquelas emissoras, ou, atém mesmo, se não lhes pagava nada, porque a parte autora remunerava a ré pelo serviço que incluía aqueles canais”, acrescenta.

“Basta ver que, se a parte autora deixasse de pagar as mensalidades do serviço, a parte ré deixava de lhe entregar aqueles canais das redes SBT, RecordTV e RedeTV!, ou seja, cortava o sinal não apenas dos outros canais abertos e fechados, mas também dessas três emissoras. Nesse contexto, no qual se caracterizou redução do serviço prestado, tem a parte autora direito à redução proporcional do preço respectivo”, conclui.

O juiz não explica como chegou ao valor por canal. “À míngua de informações sobre o valor desse serviço, arbitro essa redução em R$ 7,50 por mês, correspondendo R$ 2,50 ao corte de cada uma das três emissoras.Assim, o preço da assinatura mensal deve ser reduzido nesse valor, até que o sinal dessas emissores seja restabelecido para a parte autora”, escreve.

Marcondes faz, ainda, duas observações sobre o caso. A primeira diz respeito aos limites da sua decisão: “Não é o caso de determinar à parte ré que restabeleça o sinal daquelas emissoras à parte autora, porque se trata de questão que envolve contratação entre a ré e aquelas empresas ou com sua representante, com efeitos em relação a todos os demais assinantes da ré, ou seja, uma situação que não pode ser resolvida para apenas um consumidor.”

A segunda refere-se a uma questão importante: é possível substituir estes canais por alguns equivalentes? O juiz diz que não. “Não é caso de determinar a substituição desses canais por outros, porque não há canais com conteúdo semelhante à disposição para distribuição. O caráter personalíssimo desse serviço específico impede tal substituição”.

A decisão é uma vitória das emissoras que formam o Simba. Cabe recurso à decisão.

Mauricio Stycer | UOL

Troféu Imprensa virou o prêmio “puxar saco” do SBT.

Reclamam do Faustão porque a Globo só usa o “Melhores Do Ano” pra puxar uma saco dos Globais. Eis aqui o “Trofeu Imprensa”, o premio babaçao ao Silvio e SBT. 

Celso melhor apresentador? Patrícia Abravanel revelação, Silvia Abrmelhores o que o que? 
Até o modo de votação é arcaico, dos tempos da TV Tupi, que os jurados tem medo de não votar no Silvio. Plácido Manaia Nunes criador do prêmio, deve estar rolando na cova, com esse show de besteirol que esse prêmio se tornou, um baralho de cartas marcadas. 

.

Gustavo Vidal – Coluna Alternativa 

Globo usa Band como marionete para atacar a SIMBA Content.

A Globo nem disfarça, e usa a como marionete Band para atacar a SIMBA. 
A nova empresa formada pela Record, SBT e RedeTV! intitulada Simba Content, tem atacado a SYK com frequência em seus telejornais, porque é a única operadora que não chegou num acordo. Ai a Band resolveu atacar a SIMBA em seu principal jornal no dia de hoje (7). 

As vezes a TV Globo usa a Band como marionetes para atacar seus inimigos comerciais. A platinada tem Sky 7% das ações da Sky, e so com base nisso sabemos que as negociações serão quase impassíveis. A emissora dos Saad sempre andou junta com os Marinho, e nos últimos anos achamos que tinham se desprendido dela, por nao ter mais os direitos de transmissão do futebol, mas estávamos enganados. 

 

Se algumas TVs recebem por seus sinais, porque a SIMBA não vai receber? Elas vão a guerra, porque a Net, Claro, VivoTV e outras menores já cederam as reivindicações e fecharam acordo com a nova coalizão. Juntas representam 24% da audiência da TV fechada, algum lucro então as operadoras de TV estão recebendo, sem dar retorno a elas. Agora vamos esperar para ver até onde essa briga vai, porque usar a Band – que recebe pelos seus canais – como arma, e se mascarar com isso é jogo baixo. 

.

Coluna Alternativa – Gustavo Vidal 

Diferença absurda! Ibope aponta que a Globo tem 28 pontos de audiência contra 42 da GfK.



A medição de audiência da TV brasileira enfrenta um período de turbulência desde a última quinta-feira (30), quando o sinal analógico de TV foi encerrado na Grande São Paulo.


Desde então os dados obtidos pela Kantar #Ibope e a empresa alemã #GfK –rivais na medição do ibope brasileiro– vêm apresentado discrepâncias em horários-chave, como o nobre, segundo informa o colunista Ricardo Feltrin, do portal “UOL”.


Na última quinta, às 22h37, a Globo estava registrando 28.2 pontos no Ibope e 42 no GfK. São 14 pontos de diferença, ou quase 33%.


Neste sábado (1º), às 20h37, por exemplo, pelo Ibope a Globo tinha 25,4 pontos com a exibição do “Jornal Nacional”, a RecordTV tinha 5,6 com o “Programa da Sabrina”; o SBT, 4,6 pontos com o “Esquadrão da Moda”. A Band, 1,1 com a novela “Ezel”; e a RedeTV!, 0,3 ponto com programação religiosa.


Mas no GfK a Globo marcava 5 pontos a mais –30,5–, a RecordTV registrava 6,1 pontos,, o SBT, 5,9; a Band, 2 pontos e a RedeTV, 0,4 ponto.


Na Grande SP, em ambas as medições o número de domicílios para cada ponto está em torno de 70 mil, com 3,3 habitantes em média.


Ainda é cedo para fazer afirmações definitivas, mas a diferença de dados incomoda todas as emissoras. Inclusive a Globo, que não é assinante na GfK.


Há quase dois anos medindo a audiência das emissoras de TV no Brasil, a GfK ainda não começou a divulgar seus números abertamente para a imprensa como o Ibope faz. Em maio de 2016, a empresa alegou que estava aguardando uma auditoria nos números para iniciar a divulgação, editoria esta que parece não ter fim.

Guerra da Record, SBT e RedeTV! contra operadoras pode estar acabando. 

Está marcado para esta terça-feira, um encontro entre as operadoras NET, Claro e Oi com o executivo Marco Gonçalves, que representa a Simba Content. 
Há a expectativa que desta reunião possa sair uma definição satisfatória para o impasse, que se arrasta desde a última quarta-feira. 
A SKY, por enquanto, continua sendo a única grande operadora que não aceita nem conversar. Não haverá ninguém da parte dela nesta conversa de amanhã. 
Flávio Ricco