Haddad lidera em SP, anti-petismo enfraquece e PSDB morre

Em relação a ser pior, não é verdade, o Brasil de 2016, não é o país de 2018. Em 16, o PT tinha 6% de aprovação, o Lula caiu de 87 para 11%. Hoje as pesquisas dizem que o ex-presidente ganharia no primeiro turno.

A aprovação do PT saiu de 9% para 24 no Datafolha, 29% no Ibope.
.
Há dois anos o anti-petismo estava em alta, aquela sabotagem do Aecio, as pautas bombas do Cunha…e o partido já se recuperou.

Basear a popularidade de Haddad de dois anos, para agora, é uma tolice. Ontem (21), saiu o Datafolha, apontou o candidato petista liderando na capital paulista com 45 à 34 contra o Bolsonaro. E João Agripino Doria do PSDB, em segundo para o governo, seguido o fracasso de seu padrinho Alckimin, afundado em quinto lugar.
.
Os paulistas da capital, se tocaram do farsante que o Doria é, o Partido dos Trabalhadores tem um lugar no segundo turno, e só resta inventar mentiras, com um banner’s cheio de erros de português, é lamentável. Relaxem, o Brasil ser a feliz de novo, porque o povo não é bobo.

.

Haddad lidera na capital paulista.

O presidenciável do PT, Fernando Haddad, que perdeu a reeleição para prefeito de São Paulo em 2016, venceria o também candidato ao Planalto Jair Bolsonaro (PSL) na cidade de São Paulo, de acordo com pesquisa do Datafolha. Os dois marcam empate técnico no primeiro turno, mas o ex-prefeito da capital paulista abre 45% a 34% sobre o rival no segundo turno.

O presidenciável do PT, Fernando Haddad, que perdeu a reeleição para prefeito de São Paulo em 2016, venceria o também candidato ao Planalto Jair Bolsonaro (PSL) na cidade de São Paulo, de acordo com pesquisa do Datafolha; os dois marcam empate técnico no primeiro turno, mas o ex-prefeito da capital paulista abre 45% a 34% sobre o rival no segundo turno.
.
247 – O presidenciável do PT, Fernando Haddad, que perdeu a reeleição para prefeito de São Paulo em 2016, venceria o também candidato ao Planalto Jair Bolsonaro (PSL) na cidade de São Paulo, de acordo com pesquisa do Datafolha. Os dois marcam empate técnico no primeiro turno, mas o ex-prefeito da capital paulista abre 45% a 34% sobre o rival no segundo turno.
.
Nas intenções de votos em nível nacional, o levantamento apontou Bolsonaro na liderança, com 28% do eleitorado. contra 16% de Haddad, seguido pelo ex-ministro Ciro Gomes (PDT), com 13%.

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) alcança 9% e a ex-senadora Marina Silva (Rede), 7%.

Gustavo Vidal – Coluna Alternativa

Presidenciáveis conquistam apoio de famosos; veja quem vota em quem.

➡Marina Silva

Dentre os artistas que declaram abertamente apoio à candidata Marina Silva estão: os atores Sérgio Marone, Caio Blat, Bruno Gagliasso, Eriberto Leão, Maitê Proença, Marcos Palmeira, Marcelo Serrado, Marco Nanini, Cássia Kiss, a cantora Baby do Brasil e o dublador do Seu Barriga no Multishow Gustavo Berriel.

➡Jair Bolsonaro

Bolsonaro recebe o apoio dos cantores Gustavo Lima, Eduardo Costa, Amado Batista, Pepê e Neném, Ferrugem e da repórter Andressa Urach.

➡Ciro Gomes

Apoiam Ciro Gomes os atores Chay Suede, Patrícia Pillar e Luisa Arraes e os cantores Caetano Veloso e Tico Santa Cruz.

➡Fernando Haddad

Devem votar em #Haddad os atores Fábio Assunção, José de Abreu, Lucélia Santos, Beth Mendes, Maria Ribei, Martinho da Vila, Gilberto Gil, Bety Carvalho, Martinalha, Gregorio Duvivier, Supla, Fernanda Takai, Teresa Seikts e Chico Buarque.

➡Guilherme Boulos

O candidato Boulos tem do seu lado artistas alinhados à esquerda tradicional como Mônica Iozzi, Wagner Moura, Sonia Braga, Alinne Moraes, Letícia Sabatella, Paulo Betti, Bruno Mazzeo e Gregório Duvivier.

➡Vera Lúcia

A candidata de extrema esquerda recebe o apoio do ator Pedro Cardoso.

A reportagem não encontrou artistas apoiadores dos candidatos Geraldo Alckmin, Álvaro Dias, Henrique Meirelles, Cabo Daciolo, João Amoêdo, João Goulart Filho e Eymael.
.

Informações Veja

Em uma semana, Fernando Haddad salta de 16,91% para 41,87% no Piauí, aponta pesquisa.

.
Instituto Opinar divulgou novo levantamento nesta terça-feira (18) e confirma tendência de avanço significativo da candidatura da coligação “O Povo Feliz de Novo”

Por Redação

Fernando #Haddad, candidato da coligação “O Povo Feliz de Novo” à presidência da República, disparou em pesquisa de intenções de votos no Piauí. Segundo levantamento, divulgado nesta terça-feira (18) no Jornal do #Piauí (TV Cidade Verde), feito pelo Instituto Opinar, o petista alcançou 41,87% da preferência do eleitorado local. Há uma semana, o petista tinha 16,91%, quando não tinha sido confirmado como candidato do partido, em substituição ao ex-presidente Lula. As informações são do Piauí Hoje.

Ainda segundo a pesquisa, Ciro Gomes (PDT) e Jair Bolsonaro (PSL) estão empatados com 13% das intenções, seguidos por Marina Silva (Rede), com 4,71%, e Geraldo Alckmin (PSDB), com 2,59%.
.
(function(){var aa=”function”==typeof

O levantamento entrevistou 1.082 eleitores em 59 municípios do Piauí, entre 13 e 16 de setembro, e foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (PI-02809/2018 – cargos governador, senador, deputado estadual e federal) e (BR-06496/2018 – cargo presidente).

Dirigente do PDT inicia debandada da campanha de Ciro e anuncia apoio a Fernando Haddad.

Weverton Rocha é presidente da sigla no Maranhão, mas pede votos para o petista

Ciro Gomes / 17/09 16:43.
.
O deputado federal e presidente do PDT no Maranhã, Weverton Rocha, abandonou de vez, no último domingo (16), a campanha do presidenciável Ciro Gomes (PDT). Através do Twitter, o parlamentar, que disputa uma vaga no Senado, anunciou apoio à candidatura de Fernando Haddad (PT) à presidência.

“Tenho orgulho em dizer que estou do lado do povo e do lado de Lula. Posso bater no peito e dizer que sou o único candidato de Lula, do Haddad e do PT ao Senado no MA! Juntos, vamos lutar para impedir o retrocesso nas conquistas e de direitos do povo conquistados em seu governo”, publicou Weverton, um dos principais dirigentes do PDT.

O anúncio dá início à debandada da candidatura de Ciro Gomes. O presidenciável pedetista voltou a ficar estagnado nas pesquisas, enquanto o Haddad segue crescendo através da transferência de votos do ex-presidente Lula (PT), que teve o registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral.

Bolsonaro compra foto de mulher negra por 79 dólares para defender seu racismo.

.
Em vídeo divulgado pela campanha de Bolsonaro, a imagem de uma mulher negra, que pode ser comprada no banco de imagens da agência Shutterstock por 79 dólares, é usada para contar a história de uma enfermeira de família pobre que “há muito se libertou do vitimismo”.
.
Em um vídeo veiculado pela campanha de Bolsonaro, intitulado Mulher negra e de família pobre, Bolsonaro mais uma vez tenta atacar o discurso do movimento negro como um discurso vitimista.

No vídeo uma enfermeira negra ilustra a história de superação narrada: “Sim, sou mulher, negra e vinda de família pobre, mas não passei procuração para que ninguém fale em meu nome. Há muito me libertei do vitimismo que muitos ainda insistem em me colocar sobre os ombros…”, diz a locutora.

.
Ironicamente, o vídeo que fala em colocar palavras na boca de setores negros, usa uma modelo negra vestida de enfermeira cuja imagem é vendida no banco de imagens da agência Shutterstock, por 79 dólares.
.
Bolsonaro para se contrapor às inúmeras acusações de racismo que possui, busca atacar o movimento negro, mas a falácia de seu discurso é tão grande que ele não consegue nem um depoimento de apoio real e precisa criar um roteiro falso que faz da exceção a regra, tudo para justificar seus posicionamentos racistas contra cotas e a inclusão dos negros.

Publicitário diz como derrotar Bolsonaro na eleição de 2018.

Redator publicitário diz como derrotar Jair Bolsonaro na eleição de 2018.
.
O redator Lucio Caramori fez um ótimo texto no Twitter sobre como lidar com Bolsonaro nessas eleições.
.
“Resolvi usar minha experiência como redator publicitário e de campanhas eleitorais pra escrever um pequeno guia aqui: COMO DERROTAR JAIR #BOLSONARO NAS ELEIÇÕES 2018. Veja bem: é a forma como EU vou abordar o assunto. Sinta-se à vontade para fazer ou não.

Primeiro e MAIS IMPORTANTE ponto: a luta não é para mudar a opinião dos Bolsonaristas. É PARA GANHAR OS INDECISOS. Desista de mudar o voto de quem age por ódio, e não razão. Melhor mostrar a quem não decidiu ainda o quanto a opção Bolsonaro é um retrocesso perigoso.

Por mais absurdo que seja, os comportamentos RACISTA, HOMOFÓBICO, VIOLENTO do candidato não me parecem os melhores argumentos contra ele. Infelizmente, existe uma tendência mundial em relevar essas atitudes. O que interessa é SEGURANÇA, EMPREGO, SAÚDE.

O argumento que ele não fez NADA pela segurança do Rio de Janeiro em 30 anos de mandato vai ser mais eficaz do que comentar que ele espancaria o próprio filho se fosse gay. Porque ele sempre se vendeu como pulso firme contra a violência e não como defensor de minorias.

Um tema que acho que pode ser uma exceção é o comportamento MISÓGINO dele. Mas, mesmo assim, me refiro à gravação onde ele diz que mulheres merecem ganhar menos no trabalho. Em uma época de crise dessa, nenhuma mulher escuta isso e acha bonito.

Esqueça essa bobagem de “Não fale do bicho papão que ele desaparece”. Os eleitores deles vão continuar berrando, espalhando ódio e convencendo os indecisos no grito. Precisamos ser uma voz CONTRÁRIA, DETERMINADA, LÚCIDA e INFORMATIVA. O silêncio, nesse caso, será nossa derrota.

Não saia do grupo de WhatsApp da Família, do Trabalho, do Prédio, do Clube por causa de radicais Bolsonaristas. Seja o contraponto. Seja a pessoa que combate as fake news com informação, que aponta o radicalismo, a hipocrisia, as promessas sem planos.
.
E uma sugestão valiosa:
Esqueça a IRONIA, o SARCASMO. As pessoas entendem isso como prepotência. O que está acontecendo é muito sério e os indecisos precisam entender isso. Deixe para os Bolsonaristas a pecha de “zueiros” e aponte o dedo para eles para falar como essa “zueira” pode acabar com o país.

Esse último ponto tem muito a ver com minha lembrança de um debate entre o Cristovam Buarque e o Joaquim Roriz na minha cidade natal, Brasília. Cristovam ironizou o jeito tosco de Roriz falar. E isso pegou muito mal com o eleitorado mais simples.

Outra sugestão: não aponte um outro candidato. Mostre como a preocupação maior é não permitir a eleição de Bolsonaro. Se ele cair no 1º turno, o segundo será entre duas visões de Brasil. Aí sim, cabe discussão. Bolsonaro não tem visão nenhuma.

Bolsonaro é uma ameaça SIM e não acredite em quem diz o contrário. #Trump se elegeu por descuido de formadores de opinião que achavam sua candidatura um espetáculo para a mídia. 30% nas intenções de voto não é pouca coisa e brasileiro adora prestar atenção em quem está na frente.

Bolsonaro PRECISA ser derrotado no primeiro turno. E precisa cair MUITO para ter pouca influência no segundo. Acho que ele é a maior ameaça que a nossa democracia já enfrentou nesses 30 anos. E deve ser encarado como tal.”

Liderança de Lula no Ibope e Datafolha, desmoraliza imprensa.

Liderança De Lula nas pesquisas escancara o descrédito da Globo e da justiça partidária.
.
Por Redação Click Política Em 22 ago, 2018

POR JOAQUIM DE CARVALHO DO DCM:

Este é o dado mais importante da pesquisa Dafafolha divulgada hoje: #Lula cresceu, mesmo estando preso e sem poder gravar vídeo, apenas se comunicando por cartas, como se fosse encarcerado da Idade Média.

Na pesquisa Datafolha divulgada no dia 10 de junho, ele tinha 30%, 9% a menos. Houve crescimento de fato, com variação fora da margem de erro, o que significa que ele atraiu novos eleitores.

Com os demais candidatos, isso não acontece. Jair Bolsonaro, por exemplo, tinha 17% em junho e agora tem 19%, uma variação dentro da margem de erro.

Os demais candidatos também patinam no índice de preferência que vêm registrando nas últimas consultas, apesar da alta exposição.

Além de participarem dos debates, eles são acompanhados por uma equipe da TV Globo em eventos de campanha.

A emissora fez um acordo com os partidos: os cinco primeiros colocados nas pesquisas aparecem todos os dias nos telejornais.

Lula tem um tratamento diferenciado: todos os dias, os apresentadores da Globo lembram que não podem cobrir seus eventos de campanha porque ele está preso, “condenado por corrupção e lavagem de dinheiro”.

Isso é repetido todos os dias, nos quatro telejornais de alcance nacional da emissora. E o que acontece? Lula cresce nas pesquisas.

Já conquistou praticamente metade dos eleitores. Imagine-se como estaria sua popularidade se pudesse se comunicar diretamente com os brasileiros.

É um fenômeno, não apenas pelo carisma — no caso atual, o carisma dele está na mente das pessoas.

Sua liderança nas pesquisas decorre da memória que o brasileiro tem do seu governo, com realizações que melhoraram a vida das pessoas, e do fracasso do programa implantado pelo governo que retirou Dilma do poder.

Em outras palavras, sua liderança é resultado da força dele próprio e do fracasso do golpe.

Não adianta a Globo jogar seus holofotes para ministros do Supremo, a procuradora Raquel Dodge, o TSE, Sergio Moro, TRF-4, seus comentaristas, todos dizendo a mesma coisa, pau no Lula.

Ele continuará crescendo.

Relacionadas
JUSTIÇA PARTIDÁRIA SE BORRA! Começa a baixaria contra o nome de Haddad; SAIBA!
22 ago, 2018
E AGORA BONNER? DATAFOLHA COLOCA LULA AINDA MAIS LÍDER: 39%
22 ago, 2018
DATAFOLHA: SE BARRAREM LULA, HADDAD PODE TER DE 31% A 49%
22 ago, 2018
Tudo indica que será barrado e não poderá disputar as eleições, em mais um ato de violência institucional, mas, com a força demonstrada até aqui, deve transferir votos para Fernando Haddad e Manuela D’Avila.

E por quê?

Porque Lula encarna a ideia do tempo presente, em que o combate à desigualdade social é a prioridade número 1, até para quem quer um mercado maior e, com isso, possa ganhar mais dinheiro.

O povo sabe e, por isso, ignora a campanha de guerra da mídia.

Já entende que a perseguição a Lula pode beneficiar uma pequena parte da sociedade, mas é ruim para o Brasil.

Enquanto isso, a Globo continuará divulgando a campanha dos demais candidatos que, a rigor, à exceção de Jair Bolsonaro, são todos nanicos — têm um dígito apenas.

Isso faz da cobertura das eleições pela mídia tradicional uma cobertura nanica.

Pode ser divertida, com as manifestações do Cabo Daciolo, mas todo mundo sabe que não é para valer.

O candidato que o metade do Brasil quer está trancado, resultado de uma condenação sem prova e descrição de conduta criminosa.

A seguirem nesta marcha, as instituições brasileiras serão as grandes derrotadas desse processo eleitoral.

Sairão nanicas como os candidatos que habilitam.

Em vez de nos representarem e assegurarem a paz, as instituições decidiram brigar com o Brasil, incorporando o espírito de Sergio Moro.

Tiveram uma vitória efêmera.

Mas não vão triunfar, e a imagem que ficará de seus representantes é a de Cármen Lúcia e Raquel Dogde balançando os quadris, de braços abertos, cantando:

“Não deixe o samba morrer…”